A magia da unidade de treino!

A Décima



    Foi em Lisboa que o Real Madrid ganhou a sua décima Liga dos Campeões derrotando em prolongamento o Atlético de Madrid.
     Apesar de ter sido apenas 3º na Liga Espanhola este Real ganhou a Liga do Campeões e a Taça do Rei.
    A final de Lisboa podia ter corrido mal para o lado dos merengues pois esteve a perder até ao tempo de compensação quando Sérgio Ramos conseguiu o empate para a sua equipa.
    No fim de contas acabou por ser um bom ano para o Real, que conquistou a tão esperada décima    sobre as ordens de Carlos Ancelotti.
Fig.1.1 Equipa inicial do Real Madrid


   No processo ofensivo o Real Madrid era exímio pois conseguia colocar rapidamente 4 jogadores na zona de finalização devido à excelente qualidade de passe longo de Xabi Alonso que conseguia lateralizar o jogo da equipa sempre com a bola a chegar em excelentes condições aos seus colegas de equipa mais adiantados- Bale e Ronaldo. Quando não conseguia criar perigo através de passes longos, o Real Madrid recorria à excelente condução de bola por parte de Modric, que conduzia a bola até perto de Benzema que baixava no terreno para dar uma linha de passe enquanto Cristiano procurava a profundidade nas suas costas, ausentando-se da sua posição na ala esquerda onde apareciam Di María e Marcelo para criar perigo e poderem cruzar para a área onde, então, estavam Ronaldo e Benzema. Do lado direito, como era o lado preferencial de Modric para conduzir a bola, aconteciam muitas triangulações entre este, Bale e Carvajal que subia no terreno para dar apoio no processo ofensivo.
Fig.2.Processo ofensivo do Real Madrid


   A defender, Di María dava cobertura a Marcelo pois Ronaldo fletia para o meio para jogar mais próximo de Benzema e, juntos, pressionarem a primeira fase de construção das equipas adversárias. Modric baixava para junto de Xabi e estes juntavam-se a Bale e Di María formando uma linha de quatro à frente da linha defensiva que subia para junto da linha do meio-campo jogando em bloco alto e defendendo longe da baliza de Casillas que ficava responsável pelo controlo da profundidade do espaço nas costas dos defesas sendo que jogava em muitos momentos como um líbero. Esta fórmula defensiva permitia ao Real Madrid sair rapidamente em contra-ataque sendo esta a sua maior arma pois conseguiam, através desta forma, estar muito subidos no terreno. A maior debilidade da fórmula anteriormente referida era o controlo da profundidade em que a defesa não era rápida o suficiente para impedir o avanço dos adversários em profundidade.
Fig.3.Processo Defensivo do Real Madrid


   A maior qualidade desta equipa era a frieza que tinha em competições a eliminar como o caso da Liga dos Campeões e a Taça do Rei face às debilidades encontradas em competições de longa duração em sistema de pontos.
   Era uma equipa precisa e eficaz ofensivamente mas que tinha uma média de golos sofridos elevada para uma equipa de renome como o Real Madrid.

Comentários