“CALMA, QUE ELE VAI ESTAR LÁ!”

San Iker



     Foi considerado velho, acabado, desnecessário na equipa, foi maltratado pelo clube que sempre amou e pelos adeptos que deviam apoia-lo.

      Iker nunca baixou a cabeça, arregaçou as mangas e foi à luta, trabalhou cada vez mais para provar que ainda tinha muito para dar ao futebol.

      E após a exibição deste sábado calou os críticos e mostrou o porquê de ser considerado o melhor guarda-redes do mundo para muita gente; negou o golo por duas vezes a Coates com duas defesas só ao alcance dos predestinados e que fez com que o Porto continuasse a depender dele para ser campeão.

      Foi com justiça que todo mundo lhe reconheceu esse mérito, incluindo a imprensa espanhola que o enxovalhou quando ele tinha exibições menos boas no Real Madrid e que não foi capaz de lhe dar o mérito que ele merecia depois de ter sido decisivo nos vários títulos a nível de selecções que a Espanha possui.

      O próprio Real Madrid não foi correto com ele quando o deixou sair sem honra nem glória não lhe dando os louros das conquistas que contaram com o seu forte contributo. Na hora da saída de Casillas, o clube transpareceu uma vontade de se livrar de um dos jogadores que mais engrandeceu ao clube.

      Um dos dias mais tristes no mundo do futebol foi quando Iker Casillas foi sozinho à conferência de imprensa de despedida do Real Madrid sem o apoio de ninguém da direção do clube que mostrou tremenda falta de agradecimento para um símbolo do clube, que este representou durante toda a sua vida.

    Iker decidiu que tinha de mostrar a todo o mundo que ainda era o Iker dos velhos tempos e aproveitou o convite do Porto para ingressar no plantel tendo mostrando já por duas ocasiões o porque de fazer parte da excelência. Casillas prestou dois jogos memoráveis para os adeptos portistas como na vitória na temporada frente ao Benfica onde Casillas foi o homem do jogo e fez com que o Porto saísse da Luz com três pontos e no fim-de-semana passado onde foi mais uma vez gigante entre os postes mantendo os Dragões a depender só de si para serem campeões.

    Resta saber se o Porto e Casillas conseguirão chegar ao fim da época na frente ou se o desfecho não será sorridente para os azuis e brancos. Para já parecem na rota certa para que isso aconteça.   
     Resta-me esperar por mais exibições destas.   

 

Comentários