Merecias mais Patrício.

O Porto de 2010/2011



   O Porto de 2010/2011, orientado por André Villas-Boas foi o melhor Porto do século 21 a seguir ao de José Mourinho que ganhou a Liga dos Campeões.

   Fiel ao 4-3-3 habitual na equipa do Porto, André foi capaz de montar uma equipa coesa a defender e que conseguia praticar um futebol apoiado devido à qualidade dos homens mais criativos do meio-campo e da frente de ataque. Foi uma das equipas que melhor futebol praticou a nível mundial nesse ano e das mais dominantes no campeonato nacional.
Fig.1.1Equipa inicial do Porto da época 2010/2011



   O que dava uma dinâmica diferente e de qualidade a esta equipa era a forma organizada com atacava, pois no processo ofensivo transformava o seu 4-3-3 num 3-4-3 com os extremos a terem papéis diferentes na construção, com Varela a ser responsável por dar profundidade ao jogo Portista enquanto Hulk flectia para o meio para dar uma linha de passe mais interior a Guarín e Moutinho e para Falcão poder procurar a desmarcação nas costas da defensiva adversária sem ter de ser o apoio para tabelinhas. Além de ser muito possante o que que facilitava o seu jogo interior e as tabelinhas, Hulk também tinha um excelente remate o que fazia com que fosse muito mais perigoso quando fletia para o meio do que quando procurava a linha de fundo para cruzar esta falta de largura que o Porto tinha quando Hulk jogava mais próximo de Falcão era compensado pelas subidas de Sapunaru e pelas incursões de Guarín pelo flanco. Mas eram as trocas de bola entre Hulk, Falcão, Guarín e Moutinho que complicavam a vida às defensivas contrárias e a boa qualidade de remate que todos tinham.
Fig.2.Processo ofensivo da equipa do Porto da época 2010/2011


    No processo defensivo, por seu turno, era a junção de linhas que fazia a diferença pois a equipa estava sempre bem posicionada em 4-1-4-1 com Fernando a ser um autêntico muro à frente da defesa controlando tudo o que se passava à sua volta contando com a ajuda de Guarín para impedir que os adversários criassem perigo. A pressão dos três homens da frente com o apoio de Moutinho fazia com que fosse difícil para as equipas adversárias sair em futebol apoiado pois estes homens tapavam as linhas de passe. A coordenação existente entre Otamendi e Rolando fez com que a equipa sofresse poucos golos e transmitia segurança à equipa que ficava ainda mais segura pois tinha na baliza um guarda-redes que além de ter muita qualidade era um líder o que fazia com que os seus colegas se sentissem seguros pois sabiam que a sua baliza estava bem protegida.
Fig.3.Processo defensivo da equipa do Porto da época 2010/2011



   Esta equipa foi dominadora na época 2010/2011, tendo ganho a Liga Portuguesa e a Taça UEFA. André Villas-Boas ganhou um carinho especial no coração dos adeptos portistas. Foi uma das equipas mais completas vistas a jogar; era dominante em quase todos os aspectos do jogo sendo muito difícil de parar e ficará na memória dos adeptos à custa da vitória por 5-0 frente ao Benfica. Permitiu também ao Porto um encaixe significativo com a venda de alguns jogadores e do próprio treinador.


Comentários