“CALMA, QUE ELE VAI ESTAR LÁ!”

A arte de bem defender.



      A Itália de Marcelo Lippi ganhou o Mundial de 2006 frente à França num jogo que ficou marcado pela expulsão de Zidane após cabeçada em Materazzi.
    Esta Itália era uma equipa muito consistente a defender e que aproveitava muito bem as bolas paradas ofensivas para ganhar jogos.

Fig.1.Equipa inicial da Itália de 2006.



       A nível ofensivo a Itália jogava com Totti perto de Luca Toni sendo Luca Toni o homem que vinha jogar em apoio e que era utilizado para receber os passes longos que os médios faziam quando estavam mais apertados os extremos jogavam mais por dentro sendo Zambrotta e Grosso que ficavam encarregues de dar a profundidade à equipa pelos corredores. A equipa apoiava-se na qualidade de passe de Pirlo e na capacidade de jogar entre linhas de Totti que podia recuar no terreno para jogar como terceiro médio centro com Gattuso e Pirlo ou jogar mias junto de Luca Toni, Gattuso era o médio de cobertura sendo da responsabilidade dele dar uma linha de passe mais curto a Pirlo e Totti quando estes não conseguiam avançar no terreno.
     Outra qualidade eram as bolas paradas ofensivas que Pirlo batia sempre com muita qualidade aproveitando o bom jogo aéreo de Luca Toni, Materazzi e Grosso que além de serem bons no jogo aéreo conseguiam arranjar espaço para cabecear com muita facilidade o que criava muitas dificuldades aos adversários.
Fig.2.Bola parada ofensiva.

Fig.3.Desmarcações ofensivas

Fig.4.Jogada no seguimento de uma bola parada ofensiva.

Fig.5.Início do processo ofensivo por Pirlo.






      A nível defensivo a selecção de Itália era muito boa pois tinha Gattuso cobria muito bem a zona à frente da defesa onde raramente os adversários conseguiam chegar com a bola controlada pois não era fácil ultrapassar Gattuso pois a raça que ele tinha e a qualidade de desarme dificultavam muito juntamente com o excelente posicionamento de Pirlo e o excelente entrosamento que tinham. Luca Toni e Totti recuavam permintindo à equipa que defendesse em bloco baixo deixando os adversários jogar livremente longe da sua baliza fazendo pressão quando chegavam perto da baliza além disso tinham duas vozes de comando- Buffon e Cannavaro- que faziam com que a equipa estivesse sempre bem posicionada e que não houvesse espaço entre sectores para os adversários explorarem tornando esta Itália muito sólida nos processos defensivos.



Fig.6.Pressão do meio-campo de Itália para ganhar a posse de bola.

Fig.7.Posicionamento do meio-campo da Itália.

Fig.8.Defesa da Itália a um contra-ataque-


      Esta selecção foi o expoente máximo do século 21 do bem defender das selecções Italianas que têm sempre muita qualidade defensiva e que são equipas que sofrem poucos golos. Esta qualidade da defesa da Itália ficou muito perceptível quando Cannavaro foi eleito o melhor jogador do mundo sendo o primeiro e único defesa a conseguir tal feito.
































Comentários