“CALMA, QUE ELE VAI ESTAR LÁ!”

A primeira Liga dos Campeões de Alex Ferguson



    A primeira Liga dos Campeões de Alex Ferguson foi conquistada no ano de 1998 numa final imprópria para cardíaco onde o Manchester United marca o golo da vitória em tempo de compensação.
    Esta equipa do Manchester United continha muitos jogadores que passaram pelas camadas jovens do clube e que chegaram ao plantel principal pela mão de Alex Ferguson.
Esta equipa atuava num 4-4-2 com dois pontas de lança de área e dois extremos que jogavam mais por dentro funcionando na maior parte dos casos como médios ofensivos. 
Fig.1.Equipa inicial do Manchester United da época 1998/1999


     No ataque quem comandava as ações da equipa era David Beckham que ficava responsável por delinear os ataques passado por si quase todas as decisões quando o Manchester tinha a bola baixando um dos pontas de lança para lhe dar a apoio e linha de passe curto, o mesmo acontecia com o extremo do lado do campo onde Beckham tinha a bola enquanto isso o extremo e o lateral do lado oposto encostavam à linha lateral para permitir uma rápida variação de flanco através de vários passes curtos ou de um passe mais direto dando vantagem à equipa desse lado pois muitas vezes estavam dois para um com o lateral contrário pois os adversários eram apanhados em contra pé. Outra qualidade ofensiva desta equipa era a boa qualidade de desmarcação dos seus avançados que permitia à equipa criar muitas situações de perigo em contra-ataque quando isso não acontecia e a equipa precisava de cruzar para a área isso não pressupunha um problema para o Manchester pois os avançados também tinham um bom jogo aéreo.
Fig.2.Posicionamento ofensivo com a bola em David Beckham

Fig.3. Bola a entrar num dos avançados.



Fig.4. Bola num dos avançados com o outro a fazer desmarcação.


   No processo defensivo a equipa era muito compacta e conseguia ter as suas linhas sempre muito próximas sendo difícil para os adversários apanhar o Manchester com os jogadores fora das posições não conseguido obter vantagem numérica para o contra-ataque pois os médios centro estavam era rápidos a recuperar, principalmente Butt, e os dois avançados faziam uma linha de pressão muito subida que obrigava a equipa adversária a ter de esticar rápido o jogo obrigando os seus homens mais avançados a ter de dividir bolas a aéreas e a não ser tão fácil criar situações de perigo pois normalmente os defesas do United tinham vantagens no confronto direto. Ou qualidade era a raça da equipa que nunca dava uma bola por perdida dificultando assim as trocas de bola por parte das equipas adversárias
Fig.5.Posicionamento defensivo dos quatro defesas

Fig.6.Posicionamento defensivo dos quatro defesas e do médio mais defensivo
Fig.7.Posicionamento defensivo com a equipa adversária em contra-ataque

     Esta equipa do Manchester United tinha um grande poder de superação e demonstrava a fé e a veia apostadora do seu treinador pois nunca dava um jogo por perdido e como prova a reviravolta da final da Liga dos Campeões na compensação nunca deixava de acreditar em si.























































Comentários