“CALMA, QUE ELE VAI ESTAR LÁ!”

E ficou tudo na mesma.



     O clássico entre o Benfica e o Porto acabou empatado 1-1 com Jonas e Maxi Pereira a marcarem os golos do encontro.
    O Benfica entrou melhor no jogo e cedo chegou ao golo através da conversão de uma grande penalidade por Jonas a punir falta de Filipe sobre o próprio após o golo o Benfica recuou linhas e entregou a maior parte da posse de bola ao Porto que apesar de ter mais posse de bola não conseguiu criar muitas oportunidades de perigo no primeiro tempo muito por culpa do bom posicionamento defensivo do Benfica que conseguiu juntar linhas com os médios a jogar próximos dos defesas não dando espaço ao meio campo do Porto para construir jogo perto da baliza do Benfica que criava perigo nas saídas em contra-ataque por Salvio e Rafa e através das bolas paradas.
     Na segunda parte o Porto entrou melhor com Soares a não jogar tanto de costas para a baliza, jogando mais vezes em profundidade dando aos médios uma linha de passe mais comprida para que pudessem criar perigo dificultando o trabalho defensivo ao Benfica que à conta deste esticar de jogo por parte do Porto tinha a sua linha do meio-campo mais longe da defensiva o que dificulta uma maior coesão defensiva aos encarnados e foi numa dessas bolas mais longas para uma lateral que o Porto depois de vários remates à baliza chega ao empate por Maxi Pereira.
     A partir de aí o Porto recua no terreno entregado a posse de bola ao Benfica que controlou o resto do jogo fazendo com que o Porto criasse pouco perigo para a sua baliza no resto do jogo e criando perigo para a baliza do Porto e só não marcou golo pois Casillas foi enorme entre os postes negando por várias vezes o golo ao Benfica.
     Num plano positivo destaco Casillas e Brahimi do lado do Porto, Casillas pelas excelentes defesas que fez e que permitiram ao Porto sair do estádio da Luz com um ponto e Brahimi por ter sido o jogador mais esclarecido e aquele que mais tentou criar perigo ao Benfica.Do lado do Benfica Rafa e Jonas, Rafa foi exímio a defender na primeira parte e a sair para o contra-ataque e foi uma autêntica dor de cabeça para Maxi e Jonas pelo golo e pelas várias oportunidades que foi capaz de criar.
    Num plano negativo destaco Óliver que passou ao lado do jogo não se tendo destacado ao longo do jogo e deixando muitas vezes Danilo sozinho para Jonas e Pizzi. Do lado do Benfica, Samaris tem culpa no lance do golo do Porto pois é ele que deixa Maxi Pereira rematar sem oposição.

Comentários