11 contra 11 e no fim já não ganha a Alemanha.



Primeira surpresa neste Campeonato do Mundo é a eliminação da atual campeã, a Alemanha.

Num jogo em que a Alemanha precisava de entrar forte e dominante para não ser apanhada de surpresa e não ter de depender de terceiros para passar o que se viu foi tudo menos isso.

Uma excelente vitória da Coreia do Sul que provou que no futebol não há favoritos à partida e que dificultou muita a vida da Alemanha.

Quem viu esta fase de grupos da Alemanha, sabe que esta equipa não esteve ao nível de outra competições. Não foi uma equipa com um domínio claro das ocorrências, em todos os jogos esteve em desvantagem, só conseguindo pontuar contra a Suécia, num jogo em que deu a volta ao marcador com um grande golo de Kroos.

Faltaram ideias a esta Alemanha, Toni Kroos jogou muito tempo sozinho no meio-campo pois a equipa precisou em todos os jogos de colocar mais um homem na frente para tentar ganhar os jogos , a defesa demonstrou fragilidades em todos os jogos devido ao facto de Alemanha ter jogado muito partida e com os laterais muito subidos, o que fazia com que quando os adversários conseguiam sair em contra-ataque a Alemanha defendia com apenas 3 homens, os dois centrais e um médio, o ataque foi mais perdulário que o normal, faltou alguma ligação entre as peças escolhidas, obrigando Joachim Low a recorrer ao “tanque” alemão , Mario Gómez, pois a equipa não conseguia ligar o jogo no último terço defensivo dos adversários.

Quem viu as supostas segundas linhas da Alemanha na Taça das Confederações, que além de ganharem o torneio fizeram sempre excelentes jogos não estava à espera de um Campeonato do Mundo tão fraco das primeiras linhas.

A frase de Gary Lineker já não é tão atual porque o futebol hoje em dia continuam a ser 11 contra 11 mas no fim já não ganha sempre a Alemanha.

Comentários